Topo
Bru Fioreti

Bru Fioreti

Categorias

Histórico

Autoconfiança é a chave para crescer na carreira! Aumente a sua em 5 passos

Bru Fioreti

23/05/2019 04h00

Autoconfiança pode sim ser construída e realizar metas diárias é um dos atalhos (Foto: PEXELS)

Claro, você precisa antes de tudo ser boa no que faz para subir na carreira, ter um negócio bem-sucedido e ser reconhecida como autoridade em uma área. Mas se não tiver confiança para dar as caras e comunicar isso pode ser que seus resultados sejam inferiores à sua competência.

Talvez você já esteja passando por isso, talvez queira prevenir uma situação de insatisfação profissional…

Veja também

Em todo caso, vale considerar o que uma pesquisa recém-saída do forno demonstrou recentemente: a maioria das mulheres que chegam a cargos de liderança tende a acreditar que não tem barreiras relevantes para o sucesso. Elas também são seguras o suficiente para comunicar seus planos e se autopromover.

Em resumo, são AUTOCONFIANTES.

Se você sente que este é seu calcanhar de Aquiles profissional, pode ativamente trabalhar para melhorá-lo. Autoconfiança não é uma benesse que simplesmente nasce com você, um dom. Funciona mais como uma habilidade, uma competência que pode ser desenvolvida.

É para isso que serve o roteiro abaixo, com muitas das dicas baseadas em estudos da Psicologia Positiva.

1) Escolha uma área para ser excelente

Primeiro o mais importante: tornar-se realmente boa em algo e sentir que evolui um pouco a cada dia naturalmente aumentará sua confiança para atuar naquilo ou falar sobre o tema.

Se quer ser vista como excelente, oras, seja excelente!

Mas escolha uma área apenas para se dedicar de início: se quiser ser especialista em várias áreas, a chance de permanecer medíocre nas duas ou três é maior, assim como a possibilidade de desistir no caminho. Fora que você dificulta para as pessoas entender em qual assunto você é expert.

Só existe um porém: muitas vezes, você já é muito boa e não consegue achar que é suficiente e acaba entrando em uma sequência infindável de validações, que resulta numa jornada de cursos e leituras acompanhada de inação.

Leia sobre essa mania de fazer cursos e lembre-se: você sempre vai poder evoluir, mas o ideal é começar a atuar antes de se sentir 100% pronta, até porque o tal do 100% pode não vir e você estará se sabotando.

2) Crie metas pessoais diárias

De preferência anote as metas que tem para aquela semana e depois para cada um dos dias. O simples ato de "ticar" algo da lista promove sensação de bem-estar e faz com que se sinta mais autoeficaz — ou seja, mais confiante de que consegue realizar.

A autoeficácia, junto com uma boa autoimagem e uma autoestima em dia, é crucial para a construção da autoconfiança.

As metas diárias, que gosto de chamar de micrometas, podem ser tão simples quanto tomar 2,5 litros de água por dia, caminhar por 20 minutos na hora do almoço ou mandar uma mensagem de agradecimento para uma pessoa. Atitudes simples e no âmbito pessoal mesmo.

Se quiser expandir a técnica, experimente agregar metas profissionais que fujam da agenda cotidiana, como fazer a primeira parte da pesquisa para aquele projeto novo ou ler tantas folhas de livro por dia.

Tudo isso aumenta a autoeficácia e, por consequência, a autoconfiança.

3) Faça um inventário de conquistas

Técnica usada nos processos de coaching ao alcance de todas nós: dedique um tempo a fazer uma lista de tudo que já conquistou na vida. Vale lembrar feitos de infância, conquistas da escola, dificuldades de saúde ou de relacionamento  superadas, diplomas conquistados, cursos concluídos, empregos, atitudes corajosas, "nãos" importantes ditos, superações de toda sorte.

De posse dessa lista, certamente você se sentirá mais confiante de que, sim, realizou muito na vida. Vale ler isso toda manhã ou sempre que precisar de um gás, um "boost" de autoestima.

4) Pare de fugir da terapia

Quantos mal-entendidos perduram sobre o que é e para que serve a terapia a essa altura do campeonato, né? Você não precisa estar passando por depressão ou algo do tipo para procurar um psicólogo e começar a investigar sua mente mais a fundo.

A terapia é uma ferramenta poderosa de autoconhecimento, que permite aprofundar questões da infância, mas também atualíssimas, que podem estar aí, minando sua autoconfiança e lhe sabotando no trabalho atual. Considere essa possibilidade.

Se a terapia parecer demais para você no momento, sugiro que crie o que chamo de Caderno de Você, que nada mais é que o nome que dou para o velho e bom diário.

Neste caderno, você pode escrever sobre seu dia, mas também responder a outras perguntas, muitas delas bastante efetivas para aumentar o autoconhecimento e o nível de satisfação com a vida, como comprovam diversas pesquisas no seguimento de Psicologia Positiva.

Ideias para escrever no caderno:

  • que emoções estou sentindo? e quais gostaria de sentir? 
  • pelo que sou grata no meu dia? e na minha vida?
  • qual meu maior objetivo para hoje? e para a semana? 
  • o que posso fazer para ser 1% mais feliz hoje? 
  • o que valorizo? estou vivendo de acordo com isso? 
  • o que tenho de melhor e posso usar para ampliar meus resultados?
  • para quem eu gostaria de falar algo bom ou quem gostaria de agradecer? 
  • se eu pudesse criar um mantra que me faria feliz hoje, qual seria? 

5) Pratique a autogentileza em rituais diários

Autogentileza e autocuidado são mais que termos da moda, uma maneira efetiva de melhorar a visão que tem de si e forjar tempo para olhar para dentro. Criar rituais diários, ou hábitos, ajuda bastante.

Minha sugestão é um ritual matinal — está aí o sucesso do método d'O Milagre da Manhã para mostrar como isso funciona.

Pode ser um ritualzinho bem menor e mais singelo, de 5 passos: acordar, escrever três agradecimentos em um bloco de anotações, tomar um copo inteiro de água, alongar-se por 5 minutos e fazer café. Pronto, repetir isso todos os dias não só incrementa a eficácia pessoal em um senso mais prático, do qual falei no item 2, como promove a sensação de "olhar para si mesma".

Rituais de beleza, acender uma vela enquanto relaxa no final do dia, meditar…

A autogentileza passa ainda por um modo de pensar em si. Quando se pegar se maltratando porque cometeu um erro, tente tirar o pensamento de autoflagelo do piloto automático e se conscientizar do mantra: "não existe fracasso, só existe aprendizado".

Aproveite, se puder, para anotar qual aprendizado tira da situação desconfortável e imediatamente emendar com alguma atividade que lhe tire do ciclo de pensamentos negativos.

 

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do UOL

Sobre a autora

Bruna Fioreti é coach de vida e carreira, jornalista e consultora de branding pessoal e conteúdo. Ministra cursos e palestras sobre carreira, estilo, produtividade e temas femininos pelo Brasil - expertise desenvolvida em cinco anos como redatora-chefe da revista Glamour. Com MBA em Coaching em curso e seu projeto Manual de Você, realiza dezenas de atendimentos individuais e dissemina o conceito de #autocoaching nas redes sociais.

Sobre o blog

Dicas e reportagens sobre carreira, com foco nas mulheres que buscam satisfação, foco, produtividade e aprimoramento da imagem profissional. Um espaço para falar das tendências da área, que vai te ajudar a atingir a melhor performance da empresa chamada VOCÊ.

Blog da Bru Fioreti