menu
Topo
Bru Fioreti

Bru Fioreti

Categorias

Histórico

7 dicas para fazer metas de Ano-Novo que de fato você vai cumprir

Bru Fioreti

21/12/2017 08h00

Fora a ceia de Natal, a festa da virada e o destino das suas férias, no que mais você pensa nesta época do ano? Claro, nas metas que pretende cumprir em 2018 — aquele ano que, se Deus quiser, vai ser diferente. Bem, sobre a vontade de Deus eu não posso escrever, até porque este é um blog com opiniões e estudos de uma coach e jornalista, mas o que posso assegurar é que planejar o que quer aumenta consideravelmente suas chances de conseguir.

Aí que entra a fase da autoanálise e do planejamento das resoluções.

Geralmente, saímos falando aleatoriamente sobre os sonhos que queremos realizar, mas não gastamos tempo dando cor, forma e muito menos etapas para eles. E é esta a sacada por trás das metas bem-sucedidas: formulação e planejamento cuidadosos.

Planeje até a dancinha da vitória quando chegar ao topo da sua realização. Quanto mais nítida a cena, melhor (Foto: Pexels)

 

Falei sobre este tema na coluna sobre equilíbrio entre vida profissional e pessoal e expliquei que objetivos focados no lado positivo motivam mais no texto sobre as descobertas recentes da neurociência. Mas hoje a ideia é dar um bê-á-bá para você que quer fazer diferente, mas não sabe bem como. Veja neste passo a passo:

1. Escolha apenas seis metas principais

Pense suas resoluções como um brainstorm. Primeiro você lista todos os seus sonhos, depois escolhe quais deles gostaria de realizar nos próximos 12 meses. À parte, pode também fazer uma lista de coisas aleatórias que pretende fazer em 2018 em cada área da vida — pense nas áreas pessoal, familiar, de finanças, de carreira, espiritualidade, viagens, diversão… O segredo é ESCOLHER!

Desta lista caprichada, quais são os objetivos realmente importantes, aqueles que você faz questão de realizar em 2018? Vá riscando os menos importantes até chegar a seis.

2. Descreva de forma completa e concreta o que você quer

Sonhos só viram objetivos quando descritos de forma clara. O que exatamente você quer, como, quando, de que forma? Quanto mais detalhes, maior a chance de você realizá-los, porque processa melhor o que quer e coloca seu cérebro para trabalhar a seu favor de forma direcionada.

Em vez de "quero ganhar mais", "quero conquistar minha independência financeira ganhando o dobro que recebo hoje em até seis meses".

3. Volte a desafiar suas escolhas com perguntas-chave

Sim, eu sei que você já escolheu e que sofreu para chegar até essa fase. Mas a etapa da definição das resoluções é tão importante que merece ser revisitada depois de você formulá-las detalhadamente. E a razão disso é simples: se suas metas não forem fundamentais para você (não tiverem motivação intrínseca, tiverem a ver com seus valores e sonhos profundos), a motivação vai cair mais cedo ou mais tarde e você vai se frustrar.

Para cada uma das seis metas, pergunte:

  • Por que eu quero isso?
  • Isso é fundamental para mim?
  • Com esforço e persistência suficientes sou capaz de realizar isso?
  • Estou fazendo apenas porque dizem que é certo ou para agradar alguém?

Se estiver tudo OK nesta etapa, vamos aos prazos. Se titubear, volte para a primeira fase, sem drama!

4. Crie prazos e evidências de realização dos objetivos

Evidências não são só aquele hit de karaokê que você adora — são o passo fundamental na formulação de objetivos para o coaching. Definir as evidências da realização dos objetivos faz com que eles fiquem mais tangíveis, claros.

Escreva: qual vai ser a prova concreta de que consegui o que queria? Como saberei que atingi esta meta? Qual a situação que vai me mostrar isso?

E o prazo, já sabe, né? É o limite que você determina, de preferência com dia, mês e ano.

5. Divida as grandes metas em várias etapas ao longo do tempo

Para realizar aquela resolução, você precisa de quais ações? É aí que entram as metas intermediárias, que suavizam o peso das grandiosas enquanto tornam a jornada mais motivante.

Duas formas de fazer isso:

  • a primeira é simplesmente listar todas as ações necessárias para realizar o que quer e distribui-las ao longo dos meses e depois das semanas;
  • a segunda, um pouco mais completa, é definir submetas ou marcos no meio do caminho — e as ações para realizar cada um. Por exemplo, se você quer mudar de emprego, as submetas poderão ser terminar a pós-graduação, começar o trabalho voluntário, tomar café com seus dez melhores contatos, conseguir fazer três entrevistas de emprego e assim por diante. Para realizar cada uma delas, você precisará estudar, mandar e-mails, pesquisar empresas interessantes, entre outras ações.

6. Inclua recompensas no caminho

Para cada submeta estabelecida, vale programar uma recompensa, algo que mantenha sua motivação em alta no percurso — vale de viagem a jantar a dois a uma folga prolongada. Pense que 12 meses são longos, e esses respiros comemorativos servirão para lembrar você de que vale a pena persistir em cada fase.

7. Planeje datas para revisitar as metas todo mês

Vai esmorecer? Muito provavelmente sim!

Para ser honesta, normalmente somos engolidos pelos acontecimentos e já em março não lembramos aquilo que tudo que parecia tão possível em dezembro. O único antídoto contra isso é se lembrar constantemente dos seus maiores objetivos. Não tem mágica, tem planejamento e volta ao eixo!

Minha sugestão é ter um dia fixo por mês para olhar para suas metas e submetas — devidamente escritas em um caderno ou bloco de notas organizado — e entender se continuam sendo importantes, se algo precisa ser revisto no trajeto, se os prazos estão realistas, se tem alguma ideia que não lhe ocorreu até então. Estes momentos darão fôlego ao seu projeto 2018 incrível.

Se conseguir espiar seus planos uma vez por semana, tanto melhor! Objetivos nítidos são meio caminho andado, então não deixe que sua memória turve sua visão.

Sobre a autora

Bruna Fioreti é coach de vida e carreira, jornalista e consultora de branding pessoal e conteúdo. Ministra cursos e palestras sobre carreira, estilo, produtividade e temas femininos pelo Brasil - expertise desenvolvida em cinco anos como redatora-chefe da revista Glamour. Com MBA em Coaching em curso e seu projeto Manual de Você, realiza dezenas de atendimentos individuais e dissemina o conceito de #autocoaching nas redes sociais.

Sobre o blog

Dicas e reportagens sobre carreira, com foco nas mulheres que buscam satisfação, foco, produtividade e aprimoramento da imagem profissional. Um espaço para falar das tendências da área, que vai te ajudar a atingir a melhor performance da empresa chamada VOCÊ.