menu
Topo
Bru Fioreti

Bru Fioreti

Categorias

Histórico

Você sente inveja nas redes sociais? Aprenda a transformá-la em inspiração

Bru Fioreti

26/01/2018 05h00

Se você já teve aquela sensação ruim depois de gastar um tempo olhando o feed de notícias do Facebook ou espiando a vida da amiga de infância no Instagram sabe que passar tantas horas nas redes sociais não é a mais produtiva das atividades. Mesmo assim você faz, a gente sabe. A sacada é aprender a trocar a inveja que sentimos da vida alheia — a velha conhecida impressão de que a grama do vizinho é mais verde — por inspiração no que os outros têm de bom, algo que traga emoções positivas e fomente a ação.

De que serve o autoflagelo ao constatar que o colega que ia mal na escola se tornou um executivo ricaço enquanto você ainda luta por uma promoção?!

Stalkear a vida das pessoas: hábito que costuma gerar mais emoções negativas do que você pensa! Você quer isso para o seu dia?! (Foto: Pexels)

 

É mais jogo entender o que essa pessoa fez para ter uma carreira bem-sucedida e se inspirar nesse comportamento ou, se realmente a inveja for forte demais, deixar de seguir o fulano. Faça um favor a si mesmo: pare de gastar seu tempo com o que não faz bem!

E espie as dicas a seguir, que podem ajudar você a virar a chavinha:

Exclua os geradores de inveja, não de inspiração

Você escolhe quem segue, simples assim.

Se acompanhar a vida glamurosa do ex-colega de trabalho não faz você se sentir bem, por que raios fomentar isso? Muitas pessoas relatam sentir emoções negativas nas redes sociais — lembrando que em média a gente passa até o dobro do tempo que acredita passar online, a frequência de sentimentos ruins vira algo preocupante, que pode afetar seu nível de bem-estar em longo prazo.

Um exercício possível aqui é o de diferenciar os geradores de inveja das fontes de inspiração. Liste o que sente "stalkeando" quem, aos seus olhos, tem vida melhor que a sua e vai ver que as sensações mudam de pessoa para pessoa.

Com olhar mais generoso, muita gente pode servir de motivação para que você trabalhe mais e melhor, planeje uma viagem dos sonhos, tire aquele curso da lista de projetos engavetados. Encontre pessoas bem-sucedidas na sua área e exercite o olhar inspirado.

Falei mais sobre esse tema no vídeo abaixo, que está no meu canal com dicas para você fazer autocoaching.

Espia só:

Faça uma retrospectiva nas suas redes

Basta olhar fotos suas mais antigas, olhar friamente para o que elas transmitem e se perguntar: eu de fato estava me sentindo assim quando postei?

Você vai notar que muitas vezes sua vida no Instagram parecia gloriosa, feliz, cheia de acontecimentos interessantes, mas na verdade você estava chateado com o trabalho, supercansado ou simplesmente louco para embora, mas queria registrar o momento.

O aprendizado deste exercício é que até você pode estar transmitindo uma imagem mais colorida da sua rotina do que ela é. Sim, muita gente pode estar te invejando por aí sem saber que você tem dias difíceis, que às vezes está com dor de cabeça, salário atrasado ou com o coração partido.

A mesma lógica vale para o outro lado.

Não é porque o outro só posta viagens que a vida dele é um mar de rosas. Aliás, vale lembrar que as blogueiras e os blogueiros fazem um banco de fotos de looks e situações para ir postando ao longo da semana. O #lookdodia raramente é do dia mesmo, sabia? A vida deles é composta de altos e baixos, como qualquer outra.

Pois é, sua rotina atrás das câmeras do celular não é tão diferente assim da de todo mundo…

Espelhe comportamentos, não situações

Uma vez que  já separou o joio do trigo — o que não faz bem e deve sumir da sua timeline e o que tem poder para agregar algo a sua vida –, é hora de entender como aproveitar essas fontes de inspiração na prática. De novo, a melhor técnica é a anotação, que tira os pensamentos do nível mais abstrato e torna os sonhos mais tangíveis.

Faça uma lista de sonhos com o que te inspira nas redes e escolha entre os tópicos aqueles com potencial para se tornarem objetivos — ou seja, os que sejam viáveis num determinado prazo, só dependam de você e sejam palpáveis.

Além disso, tente observar mais como as pessoas se comportam e menos as situações incríveis nas quais estão inseridas.

Os stories do Instagram podem ajudar nisso, porque permitem ter acesso a uma versão menos mascarada do seu ídolo. É um comportamento que te agrada? Um jeito bacana de lidar com as pessoas? Um ânimo que você queria ter? Um estilo de vida mais saudável que o seu?

Espelhe-se nisso para melhorar todos os aspectos da sua vida, oras! É sobre seguir pessoas que fazem algo melhor que você e modelar (seguir o modelo) suas atitudes para se tornar, você também, uma melhor versão de si mesmo. Não é cópia, é inspiração de fato.

Sobre a autora

Bruna Fioreti é coach de vida e carreira, jornalista e consultora de branding pessoal e conteúdo. Ministra cursos e palestras sobre carreira, estilo, produtividade e temas femininos pelo Brasil - expertise desenvolvida em cinco anos como redatora-chefe da revista Glamour. Com MBA em Coaching em curso e seu projeto Manual de Você, realiza dezenas de atendimentos individuais e dissemina o conceito de #autocoaching nas redes sociais.

Sobre o blog

Dicas e reportagens sobre carreira, com foco nas mulheres que buscam satisfação, foco, produtividade e aprimoramento da imagem profissional. Um espaço para falar das tendências da área, que vai te ajudar a atingir a melhor performance da empresa chamada VOCÊ.