menu
Topo
Bru Fioreti

Bru Fioreti

Categorias

Histórico

5 dicas para se sair melhor na próxima entrevista de emprego

Bru Fioreti

14/09/2017 08h00

Você sabe que não é para falar que é perfeccionista numa entrevista de emprego, já leu que os clichês que são um tiro no pé nessa hora, está careca de saber que a roupa precisa seguir o dresscode da empresa em questão, ser discreta, polida, conscientemente escolhida.

Mas, além dessas dicas básicas na esfera do recrutamento, o que mais é possível fazer para aumentar as chances de sucesso numa entrevista? Antes de partir para os tópicos a seguir, tenha em mente a premissa de que quem está do outro lado é uma pessoa, que, como todas as outras, gosta de ser ouvida, respeitada e cria uma impressão sobre você nos 7 primeiros segundos de contato. Sua postura, seus pequenos comentários, tudo importa. Inclusive sua capacidade de se sentir confortável sendo quem você é.

Na prática…

1. Trabalhe sua linguagem corporal

Claro que ninguém pretende chegar à sala de entrevista cabisbaixo. Mas é difícil controlar isso conscientemente. A boa notícia é que estar de peito aberto, postura ereta e cabeça erguida, combo que transmite autoconfiança, é algo que pode ser forjado com exercícios pré-reunião. Uma das estratégias é fazer a chamada "pose da Mulher Maravilha" — mãos na cintura, pernas levemente afastadas e postura reta — dois minutos antes de falar.

Essa e outras estratégias ficaram conhecidas a partir do TED "Your Body Language Shapes Who You Are", no qual a cientista Amy Cudy relata como a postura confiante fomentava esse sentimento nas pessoas e aumentava suas chances de sucesso em entrevistas de emprego. Esses minutinhos com a "pose da vitória" antes do evento são, segundo suas pesquisas, suficientes para mexer com a química corporal e trazer uma sensação de bem-estar que é, sim, percebida pelo interlocutor.

Para complementar, ofereça um sorriso ao chegar e ao sair e mantenha o contato visual durante a entrevista. Encarar demais pode ser intimidante, gerar desconforto, e fugir com o olhar tende a transmitir insegurança. O meio termo é agir normalmente, sem demonstrar menos ou mais interesse do que demonstraria normalmente.

Contato visual constante, cabeça erguida, respostas diretas: "seja você", só que mais confiante. (Foto: Pexels)

 

2. Faça um ensaio das respostas principais

Algumas perguntas de RH são previsíveis, o que permite que a gente treine exatamente a resposta a dar. Não uma resposta falsa, mas aquela que enfatize o que você tem de melhor. O ensaio permite que a resposta venha sem hesitação.

Algumas respostas a serem treinadas em voz alta: quais são suas maiores qualidades, quais os maiores defeitos, qual o maior desafio que você venceu no emprego anterior, em que você acha que pode agregar à empresa nova, por que saiu do trabalho anterior, quais são seus objetivos, por que é a melhor pessoa para essa vaga…

Esse básico precisa estar na ponta da língua. Liste suas qualidades e pontos a melhorar, escreva antes o que fez de melhor profissionalmente até então, gaste um tempo com autoconhecimento antes de ir para a entrevista. A preparação vai deixar você mais segura, e isso, agora você já sabe, é percebido pelo entrevistador.

3. Fale menos e pratique a escuta ativa

Sabe quando você sai de uma conversa com a impressão de que se abriu demais? Pois é, guarde isso para os jantares com os amigos. Na entrevista de emprego, tente terminar as frases com pequenas pausas, dando a chance de o entrevistador interromper você para perguntar mais. A menos que a comunicação seja seu absoluto ponto forte, responda ao que for perguntado, sem exagerar nas histórias ou fazer acréscimos desnecessários.

Uma frase solta impensada pode mudar o rumo de uma entrevista de forma não muito agradável.

Quanto à escuta ativa, é a capacidade de realmente ouvir o outro: entender a pergunta que efetivamente foi feita e respondê-la, esperar a próxima, demonstrar respeito pela fala alheia sem tentar interrompê-la o tempo todo. Treino bom não só para a entrevista, mas para a vida em geral.

4. Comprove suas habilidades com exemplos

É provável que o entrevistador peça exemplos, mas já tenha em mente que dar evidências das suas capacidades as torna mais credíveis, palpáveis, reais. Mais importante que dizer que sabe trabalhar sob pressão é contar a experiência de gerenciamento de crise que teve há seis meses e como lidou com ela, dizer o feedback que teve na ocasião e assim por diante.

Torne suas experiências concretas aos olhos do outro e não pressuponha nada — se quer que ele entenda uma coisa, diga com todas as letras, comunique aquilo. Ali não é lugar para subentendidos.

5 – Preze pela sinceridade, mas não comenta um "sincericídio"

Já ouviu que falar mal da empresa anterior é uma péssima ideia, certo? Isso é o que eu chamaria aqui de "sincericídio", dizer absolutamente tudo que pensa, sem filtro. Não é esperto ser assim em nenhuma ocasião, quanto mais na entrevista de emprego! Escolha as fraquezas suas que pode demonstrar, sendo honesto com relação a elas, mas sem abrir completamente o que pensa sobre os ex-colegas chatos, o ex-chefe etc.

Exemplo: você pode contar que tem traços individualistas, que tem muito a melhorar no Excel e que já teve problemas com horários, pontuando o que fez e o que está fazendo para melhorar esses pontos. Mas falar de picuinhas, abrir seus problemas pessoais e reclamar da vida são informações desnecessárias. Entende a diferença?

Não tente forjar uma pessoa que não é — isso seria equivalente a mentir o nível de inglês, erro primário –, só não abra o coração para o RH. Ele é recrutador, não terapeuta, muito menos ombro amigo.

Ah, importante: cuide para que suas redes sociais, caso sejam abertas, sejam coerentes com a imagem que quer transmitir na entrevista. Não é só você que pesquisa na internet antes de conhecer alguém, as empresas vasculham suas redes.

Sobre a autora

Bruna Fioreti é coach de vida e carreira, jornalista e consultora de branding pessoal e conteúdo. Ministra cursos e palestras sobre carreira, estilo, produtividade e temas femininos pelo Brasil - expertise desenvolvida em cinco anos como redatora-chefe da revista Glamour. Com MBA em Coaching em curso e seu projeto Manual de Você, realiza dezenas de atendimentos individuais e dissemina o conceito de #autocoaching nas redes sociais.

Sobre o blog

Dicas e reportagens sobre carreira, com foco nas mulheres que buscam satisfação, foco, produtividade e aprimoramento da imagem profissional. Um espaço para falar das tendências da área, que vai te ajudar a atingir a melhor performance da empresa chamada VOCÊ.