menu
Topo
Bru Fioreti

Bru Fioreti

Categorias

Histórico

Marketing pessoal: 7 técnicas certeiras para se vender melhor no trabalho

Bru Fioreti

28/08/2017 08h00

Esqueça a conotação negativa e os estigmas que o termo "marketing pessoal" ganhou. Aqui, trataremos esse termo como o que de fato é: uma ferramenta eficaz para comunicar ao mundo seus talentos e seus feitos reais, de forma que as pessoas possam estar cientes deles e, claro, reconhecê-los das mais diversas maneiras.

Não é ter um baita gogó, muito menos exagerar nos acertos. É praticar a comunicação eficiente, e o passo a passo abaixo ajuda a entender como isso funciona. Aplique um a um, ou vá testando, e veja sua confiança e seu reconhecimento profissional crescerem.

Pode vir me contar depois, funciona.

Imagem bem cuidada, expressão confiante, rede social ativa: regrinhas certeiras para o bom marketing pessoal. (Foto: Pexels)

1 – Conheça seus pontos fortes

Se você estudar técnicas de venda, vai ver que a lei número 1 é conhecer bem o produto que quer vender. E, no caso, o produto é você. Liste seus pontos fortes, escolha os cinco principais, e faça uma lista de como maximizá-los. Mas não adianta só saber, é preciso ter na ponta da língua o que você tem de melhor e qual é a função que exerce na empresa.

Hesitação transmite insegurança, e o tal do marketing pessoal depende de transmitir autoconfiança.

2 – Ressignifique sua trajetória profissional

Tem a ver com o primeiro tópico: reconhecer o que de bom aconteceu a você. Se você odiava o chefe e sente que foi perseguida e depois demitida, isso não é algo que se conte numa entrevista de emprego com ranço, por exemplo.

Repense sua história como se fosse uma mera expectadora. Veja os aprendizados e os pontos positivos de tudo o que passou, faça um resumo e certifique-se de saber contar o que fez até hoje com satisfação e objetividade. Mais um fator que transmite confiança.

3 – Use a técnica do rapport

Já ouviu falar em espelhamento? Técnica bem popular entre vendedores, é sobre observar o que o outro diz, como gesticula e praticar a chamada escuta ativa (realmente se interessar pelo que o outro diz) para replicar sutilmente na sua fala. Isso gera empatia — alô, falamos a mesma língua, essa pessoa me escuta! -, condição fundamental para que você possa vender o seu peixe.

Mostre que ouviu o que o outro disse repetindo sutilmente algumas frases e jargões da pessoa ou usando o tradicional "então você…". Fazer bons contatos e cultivar colegas e amigos é ter "público" para você. Sem público, não existe marketing pessoal.

4 – Compartilhe suas vitórias

Ninguém está falando em só falar de si mesmo, muito menos em exagerar no que conquistou. A ideia aqui é simplesmente não guardar as coisas boas para você. Introspecção em excesso pode atrapalhar a carreira, porque você se esquece de comunicar aos outros o que deu certo.

Faça isso comentando com seu superior na empresa, com os colegas, em tom tranquilo. Conte, se for preciso, que tem um pouco de vergonha de parecer que está se gabando, mas que queria compartilhar aquilo. Quebre o gelo, se facilitar para você!

5 – Faça bom uso das redes sociais

O que foi dito no tópico 4 vale para este. Contar para o mundo o que está dando certo na sua vida funciona, passa a imagem de uma pessoa bem-sucedida. E pode revelar que não foi fácil, que teve perrengue para chegar lá, porque isso gera — de novo — empatia e humaniza você.

Incentive os outros a tentar também coisas ousadas, já que você fez e conseguiu. Mostre que quer compartilhar as vitórias. Não há nada de errado nisso e convenhamos que é mais fácil "marketear" atrás de um computador do que ao vivo.

Ah, se você é daquelas que pensa que ninguém quer saber, lembre-se de que as pessoas seguem você nas redes porque querem. Se não gostarem do que postou, podem ficar à vontade para dar unfollow.

6- Faça mais aquilo que faz bem

Uma técnica pouco divulgada, porém extremamente eficaz para turbinar sua autoconfiança. Sem confiança, você não tem coragem de contar seus feitos a ninguém, certo? Então trabalhe essa característica dia a dia fazendo mais do que ama e do que tem talento natural para fazer.

Em vez de só se acabar tentando melhorar seus pontos fracos, tente criar projetos e fazer todo dia atividades que estimulem o que tem de melhor. É boa em escrever? Capriche mais nos relatórios. Seu talento é com números? Ofereça-se para checá-los com cuidado. Seu babado é comunicação? Apresente ao vivo tudo o que for possível.

Isso é como malhar o músculo da sua confiança de forma a estar "sarada" depois — e pronta para fazer um bom marketing pessoal.

7- Pense nas necessidades do outro

Sim, porque dessa forma você vai ver como você e seu imenso rol de talentos pode ajudá-lo a crescer. Quando você foca no outro, ele presta mais atenção em você e, assim, você consegue fazer seu marketing pessoal sem parecer egocêntrico.

O bom networking depende disso: relações consistentes e duradouras. Pare agora de pensar no marketing pessoal como algo negativo, coisa de egocêntrico, mentira bem empacotada.

Aqui, fazer marketing pessoal é comunicar coisas bacanas sobre você aos outros, apenas. Uma habilidade que pode ser a diferença entre você ser uma profissional excelente escondida no mesmo cargo anos a fio ou aquela que brilha por méritos próprios.

8 – Não espere feedback alheio para se melhorar

O "autofeedback" é o que pode haver de mais precioso para quem precisa melhorar sua capacidade de fazer marketing pessoal. Analise você mesma o que fez bem ou não, o que deu certo e o que pode melhorar, faça anotações constantes sobre seus pontos de melhoria e pontue quando preciso para outras pessoas o que aprendeu e no que evoluiu.

Um jeito de demonstrar modéstia e autocrítica, sem perder de vista outra habilidade valorizadíssima hoje: a de aprendizado constante.

9 – Trate a si mesma como uma marca

Talvez a mais importante dica de todas! É sobre pensar no seu nome como uma marca, que precisa ter reputação bem cuidada e coerência em todos os aspectos. Cuide da maneira como se veste, observe as palavras que emprega, faça postagens que criem a imagem de profissional bem-sucedida que você é e quer se tornar.

Importante, coloque sua vida pessoal nas redes de forma consciente e que "case" com o lado profissional. Sempre que estiver em dúvida pergunte-se: isso é coerente com a imagem profissional que quero passar? Faz sentido para a minha marca?

O marketing nada mais é que comunicar sua marca para o público.

Sobre a autora

Bruna Fioreti é coach de vida e carreira, jornalista e consultora de branding pessoal e conteúdo. Ministra cursos e palestras sobre carreira, estilo, produtividade e temas femininos pelo Brasil - expertise desenvolvida em cinco anos como redatora-chefe da revista Glamour. Com MBA em Coaching em curso e seu projeto Manual de Você, realiza dezenas de atendimentos individuais e dissemina o conceito de #autocoaching nas redes sociais.

Sobre o blog

Dicas e reportagens sobre carreira, com foco nas mulheres que buscam satisfação, foco, produtividade e aprimoramento da imagem profissional. Um espaço para falar das tendências da área, que vai te ajudar a atingir a melhor performance da empresa chamada VOCÊ.