PUBLICIDADE

Topo

Histórico

Categorias

Inovadora e motivada: veja o que significa na prática e como chegar lá

Bru Fioreti

11/02/2020 04h00

Ter um parceiro ou um confidente ajuda você a se comprometer com o novo projeto e seguir o cronograma que criou (Foto: Pexels)

Qual foi a última vez que você se arriscou em algo sem saber direito como fazer?

Use essa pergunta como termômetro do seu nível de inovação pessoal.

Oras, você escuta dia sim, dia não que vivemos uma era tecnológica, que aparece uma disrupção atrás da outra e que o profissional que vai se destacar é aquele com alto grau de resiliência, flexibilidade, adaptabilidade… use o termo que quiser para simbolizar quem acompanha as movimentações do mercado e consegue se desenvolver e evoluir de forma a continuar útil nesses novos e nem sempre previsíveis cenários.

Veja mais

Acontece que se tornar essa profissional "do futuro" é um processo. Tem menos a ver com ser ultratecnológica que com ser curiosa e criativa. E tem a ver com coragem. Coragem para se desafiar, experimentar e se conhecer no caminho.

Como se arriscar mais? Não tem a ver com ser 100% destemida ou ter as condições perfeitas.

Como começar algo novo? Também não é sobre ideias geniais necessariamente.

Tudo isso tem a ver com suas escolhas, seu comprometimento e seu plano para seguir adiante com prazos mais curtos.

O que fazer na prática

Tudo começa por saber a diferença entre perseguir a evolução e perseguir o sucesso.

Pesquisas no mundo todo, inclusive uma de duas décadas comandada por Thomas Gilovich, professor de psicologia na Universidade de Cornell, mostram que o dinheiro falha em entregar felicidade.

É como se a nossa memória para as conquistas materiais fosse curta, enquanto a lembrança das boas experiências ecoasse por mais tempo e nos ajudasse a ter maior satisfação com a vida.

Ter muito sucesso — material, por exemplo — também pode conduzir as pessoas à adaptação àquela condição abastada e a uma certa apatia. Entende? Aquilo que supostamente é incrível, luxuoso, espetacular deixa de ter essas características para a pessoa e passa a ser só mais uma coisa.

Tudo isso para dizer que a busca pela evolução e o autodesenvolvimento vinculado a paixões e vocações pode ser um caminho melhor para começar a sair da inércia e se manter em constante crescimento. Constante e duradouro.

Pergunte-se:

  • Que tipo de experiência gostaria de ter?
  • Como poderia trazer mais excitação e desafio para minha vida?
  • O que de diferente tenho vontade de tentar?
  • Para quais coisas tenho vocação/habilidade? 
  • O que me dá medo, mas eu queria muito experimentar na carreira?

Eis algumas perguntas para destravar as ideias acerca da inovação na própria jornada profissional.

Se quiser começar algo que te deixe motivada, que seja inovador em vez de mais uma ideia igual numa multidão competitiva, siga a sua curiosidade.

Repito: para começar a ser uma profissional mais inovadora, siga a sua curiosidade.

E aí…

Comprometa-se e comece já

Sim, comprometer-se a entregar algo grande sem saber direito como vai fazer aquilo.

Vender um curso de algo que ainda está estudando, apresentar um pré-projeto no trabalho, começar a experimentar um jeito novo de fazer seu ofício… A ideia é colocar um prazo e se comprometer com as pessoas a cumpri-lo — a possibilidade de falhar é um motivador forte e impulsiona o cumprimento do prazo anunciado.

Para quem ainda não conhece, aqui usamos ainda a força da chamada Lei de Parkinson, segundo a qual a tarefa se expande de acordo com o prazo que damos para ela. Determinar um prazo menor para, de propósito, nos sentirmos um pouco pressionadas, é efetivo.

Com isso, você se obriga a estudar mais, se aperfeiçoar, treinar e fazer a nova atividade o mais rápido possível.

Você cresce, se impulsiona, até porque se colocou nessa "obrigação".

Não se engane: boa parte das pessoas que você vê brilhar por aí aceita missões para as quais não se sente capaz, ou pelo menos não plenamente capaz.

Aceita porque sabe que aquilo é uma oportunidade para avançar, tendo um prazo para pressionar e fazer acontecer. Porque já viveu isso e sabe que é o jeito mais fácil de sair da inércia, com terceiros envolvidos no processo e um pouco de pressão.

Caso a oportunidade não bata na sua porta, ok.

Tente criar a sua fazendo um planejamento para apresentar aquele projeto, marcar uma reunião, começar a fazer determinado tipo de conteúdo na rede social ou em um blog ou podcast. Mas envolvendo mais gente, tornando o seu novo experimento profissional tangível para, pelo menos, mais uma pessoa (nem que seja um confidente de outra área, família, amigos…).

A mensagem toda remete ao clichê "comece antes de estar pronta" e avança para "use esse processo para se aperfeiçoar e ganhar confiança".

Você não tem quem saber tudo no dia 1, mas tem que ser comprometer a saber muito mais no dia 50.

É sobre progresso pessoal e se sentir avançando na carreira durante o processo. A adaptação que é imprevisível e acontece no caminho. Os desafios motivam e a continuidade dos seus "experimentos" profissionais acendem seu lado inovador.

Isso é se preparar para as carreiras do futuro também!

Se fizer sentido para você, escolha agora um projeto/experimento/ideia para colocar em prática já, mesmo sem saber direito quando e como. Fale para alguém de confiança ou marque uma reunião para expor as primeiras pensadas. Comece hoje, agora, e esse pequeno risco logo mais pode se tornar sua guinada profissional.

Usemos mais uma frase de efeito, se preciso for: daqui a um ano, o que você gostaria de ter começado hoje?

Sobre a autora

Bruna Fioreti é coach de vida e carreira, jornalista e consultora de branding pessoal e conteúdo. Ministra cursos e palestras sobre carreira, estilo, produtividade e temas femininos pelo Brasil - expertise desenvolvida em cinco anos como redatora-chefe da revista Glamour. Com MBA em Coaching em curso e seu projeto Manual de Você, realiza dezenas de atendimentos individuais e dissemina o conceito de #autocoaching nas redes sociais.

Sobre o blog

Dicas e reportagens sobre carreira, com foco nas mulheres que buscam satisfação, foco, produtividade e aprimoramento da imagem profissional. Um espaço para falar das tendências da área, que vai te ajudar a atingir a melhor performance da empresa chamada VOCÊ.

Blog da Bru Fioreti