Topo
Bru Fioreti

Bru Fioreti

Categorias

Histórico

Seu estilo fala! Saiba como lapidá-lo para melhorar a imagem que transmite

Bru Fioreti

16/07/2019 04h00

Não é sobre consumir: é sobre formar um estilo coerente com a imagem que deseja transmitir, sair do piloto automático (Foto: Pexels)

Você está resolvida com seu estilo? Ele te ajuda a transmitir uma imagem coerente com o que quer para sua carreira?

Ah, e antes que você pense que esse é um post para incentivar a mudar todo o guarda-roupa, ou gastar com isso, já aviso: é quase que o contrário! Um estilo bem-resolvido te faz consumir menos.

A premissa é: cuidar da imagem pode ajudar, sim, na carreira, porque influencia na impressão que os outros têm sobre você. É aquele plus à competência que você vem lapidando com estudos + prática profissional.

A primeira impressão

Para formar a primeira impressão, segundo pesquisas da psicóloga de Harvard Amy Cuddy, estudiosa da linguagem corporal, a gente se faz duas perguntas: "Essa pessoa é confiável?" e "Essa pessoa é competente?". Mais de 80% da impressão inicial passa por esse crivo.

Acontece que essas perguntas e a resposta para elas acontecem em geral mesmo de a gente abrir a boca, em cerca de 7 segundos! Nossa postura, nossa aparência, nossas expressões faciais e, em um segundo momento, a maneira como interagimos determina tudo isso.

A impressão das pessoas sobre nós pode mudar depois. Mas ela precisará passar pelo filtro do primeiro contato — mais ou menos positivo.

Como estratégia para construir uma marca pessoal forte, sugiro que tiremos a apresentação da nossa "casca" do piloto automático, que repensemos o que comunicamos.

Antes de seguir o texto, pergunte-se: que imagem eu gostaria de transmitir? Essa é a pergunta necessária para iniciar a gestão de marca pessoal (o branding pessoal, o tema que estudo e sobre o qual sempre falo).

A partir dessa premissa, que tal lançar um novo olhar sobre a maneira como lidamos com nosso estilo e nos expressamos?

O que você veste comunica

Você já deve ter lido que para ir a uma entrevista de emprego, por exemplo, é mais adequado vestir cores claras, a fim de gerar aproximação.

Há muitos estudos sobre o que as cores podem transmitir, mas, mesmo sem saber disso, podemos usar ideias que nos são intuitivas. Exemplo: cores fortes e "brilhantes" fazem com que a gente "chegue chegando", portanto transmitem uma imagem de extroversão e são ótimas para quem quer chamar a atenção ou causar um impacto.

Já as mais claras, em tons pastel, transmitem calma, serenidade, e portanto aproximam (daí a dica da entrevista de emprego). Em contrapartida, cores escuras tendem a criar barreiras, a afastar. Então pode ser estratégico, dependendo dos seus objetivos, se vestir de terninho preto com salto alto. Ou ser uma péssima ideia…

Qual seu caso?

É bom considerar não só as cores como sua mescla com as formas, os tecidos, os acessórios, o penteado… A combinação forma o estilo.

Um blazer muda completamente de cara se estiver combinado com um scarpin ou com um tênis. Um terno completo, todo bem cortado porém estampado, transmite uma mensagem absolutamente mais alegre e ousada que um risca de giz. Um jeans puído  não é a mesma coisa que um jeans com corte reto…

Em geral, para uma imagem mais polida e profissional, indica-se usar alguma peça de alfaiataria, evitar peças justas ou curtas demais. Mas essas regras podem não fazer o menor sentido para sua área de atuação ou deixar todo mundo igual — o que é o avesso de criar uma imagem marcante.

Fica a reflexão: não há certo ou errado, há o que funciona para seu branding.

O desafio da camiseta branca

Costumo dizer que você pode testar se seu estilo está condizente com seu branding pessoal fazendo o #desafiodacamisetabranca.

Vista calca jeans + camiseta branca e comece… como você combina as peças para que essa dupla básica fique com a sua cara? Parta daí para entender o que te define do ponto de vista da imagem. A maneira como arruma o cabelo, a maquiagem que usa ou não usa, os acessórios que agrega, o sapato, tudo isso comunica.

A ideia não é seguir uma fórmula, mas criar a sua. Entender o que quer transmitir e, se precisar, buscar referências de imagens que te ajudem na construção da sua.

Dica extra: faça uma limpa no guarda-roupa e só deixe peças que tenham a ver com o que quer passar. Limpe sem dó! Facilita na hora de se trocar e ajuda a se manter em uma linha coerente de estilo.

E digo mais. Chega de achar que repetir peças é ruim para a sua imagem. É justamente ao usar os mesmos acessórios ou repetir aquele tipo de roupa que se cria uma marca-registrada. Se essa marca for a que você deseja, bingo!

Veja mais

Observe como se expressa

Em seu famoso TED, Amy Cuddy explica que não só a postura confiante faz com quem sejamos percebidos dessa forma, como também faz com que nos sintamos de fato mais poderosas.

A postura da Mulher-Maravilha, com o peito estufado e as mãos na cintura, é uma delas. E dois minutinhos, segundo a pesquisadora, dão conta de disparar uma química cerebral positiva e trazer o resultado de confiança desejado.

Sobre gestos e expressões, mais do que querer moldá-los a uma regra de etiqueta, é interessante observá-los. Olhe para fotos e gravações para entender como anda sua postura, se faz muitas caretas, se sorri mais ou menos e eventualmente amenizar ou enfatizar alguns traços.

Muitas pessoas reclamam que são mal interpretadas, que são entendidas como arrogantes quando na verdade só não são de sorrir muito. Pois é: o ser humano interpreta as expressões, e as mais sorridentes ajudam na aproximação…

Claro, depois que tiver a chance de abrir a boca e conversar, tudo pode mudar. Aí é hora de cultivar a autenticidade e focar a conversa no outro, se quiser ser lembrada de forma positiva.

Se quiser, afinal quem define o que quer transmitir é você.

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do UOL

Sobre a autora

Bruna Fioreti é coach de vida e carreira, jornalista e consultora de branding pessoal e conteúdo. Ministra cursos e palestras sobre carreira, estilo, produtividade e temas femininos pelo Brasil - expertise desenvolvida em cinco anos como redatora-chefe da revista Glamour. Com MBA em Coaching em curso e seu projeto Manual de Você, realiza dezenas de atendimentos individuais e dissemina o conceito de #autocoaching nas redes sociais.

Sobre o blog

Dicas e reportagens sobre carreira, com foco nas mulheres que buscam satisfação, foco, produtividade e aprimoramento da imagem profissional. Um espaço para falar das tendências da área, que vai te ajudar a atingir a melhor performance da empresa chamada VOCÊ.

Mais Blog da Bru Fioreti