Topo
Bru Fioreti

Bru Fioreti

Categorias

Histórico

4 lições de carreira de Lady Gaga, do início até "Nasce Uma Estrela"

Bru Fioreti

30/01/2019 04h02

Com Bradley Cooper no badalado "Nasce Uma Estrela": mais um talento revelado ao público (Foto: Divulgação)

"Nasce Uma Estrela" colocou Lady Gaga nos holofotes de uma maneira diferente, como atriz e sem máscaras. Pela primeira vez em muito tempo — na verdade, desde que se tornou famosa, há mais de dez anos — podemos vê-la sem peruca, excesso de maquiagem, roupas extravagantes. E gostamos do que vemos.

O filme está fazendo um sucesso estrondoso e levou Gaga a concorrer a dezenas de prêmios: está indicada como melhor atriz e melhor canção no Oscar e no Grammy também pelo hit do longa, "Shallow". Levou várias estatuetas nos últimos meses, entre elas o de melhor atriz e melhor música no Critics Choice Movie Awards e um no Globo de Ouro por melhor canção.

Veja também

O que Gaga tem, além do inegável talento musical? Bem, ela reúne algumas das características comuns a profissionais de sucesso. Persistência, ousadia e gerenciamento inteligente da imagem pessoal, para início de conversa.

Já estive frente a frente com Lady Gaga, em 2011, quando assinou uma coleção de maquiagens com renda revertida para fundos contra a Aids. Ela desfrutava o sucesso de "Born This Way" e circulava com próteses no rosto (que pareciam implantadas, mas não eram). Causava um estranhamento proposital e não trazia respostas prontas. Seu posicionamento era tão forte quanto sua imagem. Sua ode ao "diferente", ao desencaixado dos padrões, reforçou o relacionamento peculiar e próximo com os fãs, outro fator de sucesso da artista.

São várias lições profissionais — algumas delas decifradas aqui.

1) Ter uma visão clara e persistir no objetivo

Gaga nunca teve problema em dizer que se achava uma estrela. Uma estrela desencaixada, mas uma estrela.

Aprendeu a tocar piano nova, aos 4 anos, e passou a se apresentar na pré-adolescência. Tinha essa visão clara do que queria e persistiu, da cena underground de Nova York até os grandes palcos, resistindo a incontáveis nãos.

E aí está nossa lição #1 de carreira: ter clareza do que quer e persistir naquilo envolve superar as negativas que inevitavelmente aparecem. Não só Gaga foi rejeitada, mas a maioria absoluta das pessoas de sucesso levaram "foras" profissionais que trouxeram aprendizado e fortaleceram seu desejo de dar certo. 

Se você se encontra entre "nãos" hoje pense nisso. Se a visão for clara (ou seja, se tiver um objetivo), você pode ajustar a rota, mas isso não significa desistir.

2) Criar uma imagem marcante e polêmica

Vestida de carne, de borracha, irreconhecível. Gaga usou o tapete vermelho sabiamente: seu visual era tão exótico que ficava impossível para qualquer veículo de imprensa ignorar sua aparição. Ela estava em todas as reportagens e galerias sobre o estilo das famosas. E isso a fazia ser lembrada.

Nos palcos e no tapete vermelho, Gaga surpreende na estética e torna impossível para os veículos não noticiarem sua presença (Foto: Divulgação)

Sua gestão de imagem é uma das mais bem-sucedidas entre os pop stars porque a fez se destacar da multidão, gerar interesse. A gestão de marca pessoal — ou branding pessoal, se assim preferir — envolve não só cabelo, maquiagem e roupas, mas a postura. Gaga manteve um discurso coerente anos a fio, sem medo de ser diferente.

Gostando ou não, todo mundo sabia que ela existia. Hoje, ainda mais, embora já não "precise" de looks exuberantes para ser notada. Gaga sabe desconstruir a própria imagem que criou, mas isso é assunto para outro tópico.

Ao contrário do que prega o senso comum, o gerenciamento de imagem não beneficia somente os artistas. Entender o poder do que veste, do que diz e das associações que faz é parte fundamental da diferenciação do mercado. A primeira impressão é formada em média em sete segundos — é o tempo que se tem para ser ou não lembrada de maneira positiva. Ou simplesmente ser lembrada…

Varia de profissão para profissão quão extravagante pode ser sua imagem. A polêmica diferencia e pode ser efetiva, mas é arriscada. E sempre haverá um meio-termo para você. Criar uma marca, acentuar sua personalidade em acessórios e corte de cabelo, bem como em posicionamento diante de determinados assuntos e comportamentos constantes.

Que imagem você transmite hoje? Você some na multidão ou é fácil lembrar de você? Tem algum diferencial ou característica marcante? Pelo que costuma ser lembrada? Faça essas perguntas a si mesma se quiser usar a imagem a seu favor, em qualquer área de atuação.

3) Manter um discurso coerente e fiel ao seu público

Mantendo um discurso coerente e direcionado aos seus "desajustados" — como ela mesma se caracteriza –, Gaga criou uma relação peculiar com os fãs, a quem chama de "little monsters". Usou Twitter e Facebook todos os dias para fortalecer esses laços quando isso era muito menos óbvio do que hoje. Entendeu desde o início que seu sucesso se daria graças à existência de um público disposto a aplaudi-la.

E você, entende isso? Tal visão é especialmente valiosa para quem pretende usar as redes sociais como instrumento de divulgação do trabalho. Frequentemente os profissionais esquecem que criar conteúdo para a internet envolve pensar no que o outro quer ler/assistir/consumir. Envolve interação! 

Conhecer seu público ou interlocutor é uma das chaves da boa comunicação. Vale pensar nisso também na hora do networking. Quando fizer contatos, observe com quem fala, pergunte sobre ele, procure criar uma conexão verdadeira. Assim como os fãs de Lady Gaga, seus seguidores ou colegas querem ser ouvidos, querem ser vistos, querem respeito. O ser humano quer atenção (inclusive você).

Poucas coisas são mais sedutoras e efetivas nas esferas profissional e pessoal quanto dar atenção ao outro. Experimente.

4) Correr riscos mesmo depois de atingir o sucesso

Gaga poderia ter se contentado com a linha musical que a fez ganhar centenas de prêmios e fama desde 2008, ano de lançamento do álbum "The Fame". Claro, ela se manteve no pop, porém deu passos inesperados, que a tiraram da zona de conforto. Não como um tiro no escuro: além de mantê-la desafiada artisticamente, essas invenções artísticas fizeram parte de uma estratégia para ganhar visibilidade e se manter relevante no cenário de abundância de informação e novos talentos. 

Surpreendeu os fãs ao dar um passo ao lado de sua carreira no pop para cantar jazz com Tony Bennett (Foto: Divulgação)

Sempre há algo novo sobre Gaga, um Single, um vídeo, um projeto… De preferência anunciado pela própria (o controle da imagem, lembra?) antes para os fãs. Para isso, se envolve em parcerias que podem fugir do óbvio. Já fez clipe com Beyoncé, mas também cantou jazz com Tony Bennett, antes de sua mais recente ousadia, que foi protagonizar "Nasce Uma Estrela".

Do ponto de vista da imagem, também surpreende. Hoje não se sabe se ela vai aparecer no red carpet fantasiada como a "antiga Gaga" ou vestida dela mesma. A artista sabe surpreender e criar expectativa sobre sua presença. 

E isso nos leva à última lição de carreira deste post: correr riscos sempre, para se manter no topo. O que a levou a atingir resultados incríveis na carreira pode não suficiente para os próximos passos. E aí? É hora de se desafiar, aprender habilidades novas, mudar a estratégia, testar novas possibilidades e, por que não?, surpreender. Pense em como isso se aplica à sua carreira.

Se sua imagem antiga não condiz com o que quer daqui para frente, o que precisa mudar? Como vai começar a se reposicionar? Caso já tenha atingido o que queria, mas sente que o mundo está mudando rápido demais e precisa se atualizar, comece a se mexer para isso! Saia da zona de conforto, começando por estudar um tema desafiador ou convivendo com ideias e pessoas diferentes de você.

Mais um detalhe: parte do sucesso de Gaga está em criar uma rede de apoio que inclui não só os fãs como parceiros de peso. Faça o mesmo.

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do UOL

Sobre a autora

Bruna Fioreti é coach de vida e carreira, jornalista e consultora de branding pessoal e conteúdo. Ministra cursos e palestras sobre carreira, estilo, produtividade e temas femininos pelo Brasil - expertise desenvolvida em cinco anos como redatora-chefe da revista Glamour. Com MBA em Coaching em curso e seu projeto Manual de Você, realiza dezenas de atendimentos individuais e dissemina o conceito de #autocoaching nas redes sociais.

Sobre o blog

Dicas e reportagens sobre carreira, com foco nas mulheres que buscam satisfação, foco, produtividade e aprimoramento da imagem profissional. Um espaço para falar das tendências da área, que vai te ajudar a atingir a melhor performance da empresa chamada VOCÊ.