menu
Topo
Bru Fioreti

Bru Fioreti

Categorias

Histórico

Instagram é o novo currículo! Veja como usar a rede a favor da sua carreira

Bru Fioreti

22/11/2018 04h00

A rede social pode ser usada como currículo, vitrine de trabalhos, fonte de networking… (Foto: Pexels)

Você já sabe que manter o perfil do LinkedIn atualizado é essencial para a carreira. Mas será suficiente? Eu diria que não, por duas razões:

1) uma das grandes tendências de recrutamento é procurar saber sobre os candidatos em mais de uma fonte na internet, para rastrear habilidades necessárias a determinados cargos, mas que o currículo não mostra;

2) Facebook e Instagram são redes com ampla aderência no Brasil, sendo que o "Insta" é considerado a rede preferida dos usuários, especialmente relevante para empreendedores, para a venda de produtos e serviços e para a criação de uma imagem profissional consistente.

Essa imagem é formada por um conjunto complexo de fatores. Se antes era basicamente uma soma de CV, indicação e cumprimento de metas, hoje começa pelo jeito de se vestir, passa por habilidades técnicas, experiência profissional, comportamento, causas pessoais e chega ao que você resolve ou não revelar por meio das redes sociais.

Nossas vidas estão mais expostas, e quem contrata ou consome sabe que pode usar isso para fazer escolhas mais inteligentes. Você faz, todos fazem.

Para um recrutador, a rede social permite analisar mais que sua trajetória profissional, sua personalidade, como lida com as pessoas, quais as suas posições sobre determinados temas e com quem se relaciona.

Isso não precisa ser uma coisa ruim, invasão de privacidade. Basta estar consciente sobre o que postar ou não, criando uma marca pessoal que transmita credibilidade e outros atributos interessantes para os seus objetivos profissionais — o chamado de Branding Pessoal, a gestão da marca "você" preconizada pelo guru Tom Peters nos anos 1990 e hoje considerada fundamental para se destacar no mercado de trabalho.

Dar um Google ou "qual seu @"?

Antes de torcer o nariz para o uso profissional de Facebook e Instagram, considere o seguinte: se você conhecer alguém, vai dar um Google no nome dessa pessoa ou rastrear seu perfil no LinkedIn? Provavelmente nenhum dos dois: a reação mais comum será buscar o perfil dela no Instagram ou no Facebook. Até os departamentos de RH cedem a esse comportamento, uma série de pesquisas já demonstrou essa tendência.

Aí está a sacada que pode mudar seu rumo profissional: certificar-se de que, ao chegar em sua rede social, a pessoa forme uma primeira impressão positiva.

Como já expliquei aqui, a primeira impressão é construída, em média, em apenas sete segundos, então você tem uma oportunidade rápida de transmitir o que desejar por meio do combo foto de perfil + biografia resumida + últimas fotos postadas.

Seu feed de notícias pessoal é a sua vitrine. Isso vale para a qualidade e o conteúdo das fotos que posta e as notícias e memes que compartilha. 

Se o perfil for fechado, você não estará exposta, ok. Mas também não terá utilizado essa ferramenta para formar uma boa primeira impressão. Considere seu segmento profissional, o que as demais pessoas bem-sucedidas da sua área fazem e defina o que é mais estratégico para você.

Leia mais

Perfil profissional versus pessoal

Uma vez que você assumir a possibilidade de usar Instagram & cia. como uma ferramenta adicional ao currículo tradicional, há alguns pontos a considerar.

O primeiro deles, sem dúvida, é a separação dos perfis profissional e pessoal. Isso varia de acordo com a área em que atua, seu plano de carreira e o fato de estar ou não em uma empresa tradicional.

Quanto mais convencional for o trabalho e conservador o meio em que estiver, mais conveniente será separar as esferas. No meio corporativo, dificilmente sua imagem será beneficiada pelo fato de os colegas ou os vice-presidentes acompanharem os detalhes da sua programação de feriado.

Já se trabalhar como empreendedora ou quiser divulgar um hobby, a rede social com um mix de conteúdos profissionais e pessoais será mais efetiva, uma vez que mostrar traços da sua personalidade e de seus gostos aumenta o engajamento.

Seja qual for seu caso, porém, convém sair do piloto automático antes de fazer qualquer postagem. Sugiro esse trio de perguntas rápidas para a garantia de um Branding Pessoal bem feito a cada postagem:

  • Esse post é coerente com a imagem pessoal e profissional que quero transmitir?
  • Como isso pode ser visto por recrutadores ou possíveis clientes?  
  • Entendo as consequências de postar isso?

A "Bio" é o novo currículo

O uso das redes sociais profissionalmente também é um bom exercício de concisão, um treinamento para reduzir o ruído e transmitir apenas a mensagem que interessa.

Não importa quão complexa seja sua personalidade ou quão recheado seja seu currículo. Ali, nos poucos segundos de atenção dedicados a sua rede por um usuário, você tem uma chance de captar seu interesse por imagens e palavras.

Para isso, sugiro atentar a pelo menos dois fatores:

  1. A foto de perfil. Como imagens comunicam mais rapidamente que palavras, sua foto de perfil é a chance mais eficaz de mostrar quem você é. Que ela transmita credibilidade, confiança e profissionalismo, se esse for seu objetivo. Pergunte a colegas de confiança o que pensam ao olhar para a foto, se tiver dúvidas. 
  2. A descrição de quem você é. Necessariamente, precisa ser curta e dar o recado sobre o que faz e do que gosta. Pode ter alguma informação pessoal, se quiser, e é bom que deixe um contato. Aproveite o exercício de escrever sobre você para treinar as seguintes respostas: Como descreveria seu perfil profissional em uma frase? De todas as habilidades e credenciais que tem, quais merecem destaque? Por quê? Qual é sua principal característica profissional? 

Networking online

Outra maneira de usar o Instagram como ferramenta profissional é aproveitar os contatos que proporciona. É por isso que a rede é "social", lembra? Dependendo do segmento, é perfeitamente aceitável fazer contato por inbox, agregando alguma informação ou fazendo um comentário sobre um post — mas não pedindo emprego logo de cara!

Também vale seguir e se engajar com marcas, hashtags e pessoas que tenham os mesmos interesses que os seus. Isso é percebido pelo algoritmo do Instagram, que pode passar a apresentar você a eles também, formando um networking virtual interessante.

Cultivar as relações online curtindo e comentando posts alheios também pode contribuir para que seja lembrada quando aparecer uma oportunidade. A indicação de que tanto precisa pode vir daí. Só não se esqueça de que esses relacionamentos precisam ser constantes e genuínos. Comente quando tiver algo a comentar, interaja sem pedir, seja presente nas redes respeitando o espaço do outro.

As regras de relacionamento virtual e presencial não diferem tanto assim — basta ter bom senso que o retorno vem.

Sobre a autora

Bruna Fioreti é coach de vida e carreira, jornalista e consultora de branding pessoal e conteúdo. Ministra cursos e palestras sobre carreira, estilo, produtividade e temas femininos pelo Brasil - expertise desenvolvida em cinco anos como redatora-chefe da revista Glamour. Com MBA em Coaching em curso e seu projeto Manual de Você, realiza dezenas de atendimentos individuais e dissemina o conceito de #autocoaching nas redes sociais.

Sobre o blog

Dicas e reportagens sobre carreira, com foco nas mulheres que buscam satisfação, foco, produtividade e aprimoramento da imagem profissional. Um espaço para falar das tendências da área, que vai te ajudar a atingir a melhor performance da empresa chamada VOCÊ.