menu
Topo
Bru Fioreti

Bru Fioreti

Categorias

Histórico

Look de trabalho: quebre essas 10 regras e esbanje mais estilo na empresa

Bru Fioreti

21/09/2017 08h00

O que você não deve vestir no look de trabalho? Ah, foram anos decorando a lista de "don'ts", vestimentas com potencial para mascarar a boa profissional que você é, ou sabotar irremediavelmente sua imagem profissional conquistada a duras penas.

Decote e roupa justa do tipo "fechada a vácuo" continuam a ser, digamos, perigosos para a maioria das profissões. Mas, convenhamos, não há por que não ousar aqui e acolá no dia a dia.

A ideia de "roupa para bater" deixa de fazer sentido quando você entende que sua imagem diz muito sobre quem você é, inclusive profissionalmente. Toques criativos ou a opção pelos clássicos mandam sinais, queiramos ou não. Além disso, quando se trabalha tantas horas por dia e se emenda a jornada com compromissos pessoais, convém pensar em trajes adequados a mais de uma ocasião.

Vivemos a era da autenticidade na moda: roupas rígidas com ombros marcados demais ficaram nos anos 80, as "clean" até a última gota, nos anos 90, e as casuais com direito a cintura baixa, nos anos 2000. Claro que o look casual tomou conta do trabalho, salvo honrosas exceções, como advogadas, que ainda mantém os terninhos, e as profissionais de saúde, que preferem roupas claras ou sobrepõem jalecos.

Mas se há uma regra atual é de ajustar seu estilo ao ambiente de trabalho e à imagem que deseja transmitir. Quebrar convenções com consciência é mais uma ferramenta para o sucesso profissional.

Por isso, listo aqui algumas "regras" sobre o look de trabalho para burlar a partir de hoje, de acordo com suas intenções, e sem medo de ser feliz.

1. Antes: roupa de trabalho é "roupa para bater" / Hoje: tenha um guarda-roupa inteligente

Chega da ditadura da roupa de qualidade ou especial só "para sair"! A maior parte dos seus dias você passa trabalhando e é mais do que justo que esteja na sua melhor versão todos os dias. Ninguém está falando de roupas caras, mas de prezar pela qualidade em tudo o que veste no dia a dia.

Não é sobre ter muitas peças, é sobre ter básicos que promovam combinações inteligentes. Difícil achar alguém que não vá fazer ótimo uso de jeans, camisa branca e sapato bege ou preto. São básicos nos quais vale investir um tiquinho mais. Pense nas combinações e no que vale aquele $ a mais…

Regras? Só se for para quebrar! Aqui, eu, a coach e jornalista Bruna Fioreti, com look de trabalho que mescla camisa e blusa com brilho. (Foto: Marcelo Guarnieri/Divulgação ILove)

2. Antes: Não trabalhe com cores berrantes  / Hoje: aposte nas cores que te favoreçam 

Não existe cor certa ou errada, existe cor que favorece seu tom de pele e cabelo e cor que não favorece. Uma vez que você entende qual paleta combina com você, não há por que temer usá-la. Depois de um longo período de bege, cinza e preto, podemos nos permitir usar verde, azul e vermelho também no escritório.

Podem ser as nuances mais esmaecidas ou as cores intensas combinadas às neutras, mas inserir cor no look de trabalho destaca você da multidão. Se a intenção é essa, se joga!

3. Antes: Evite jeans ou use só lavagens escuras/ Hoje: Misture jeans com alfaiataria 

Besteira na maioria dos casos, né, pessoal? O jeans é um neutro, informal, sim, mas que é quebrado quando combinado com camisa ou um casaqueto de alfaiataria. Em vários trabalhos, looks total jeans, com peças em diferentes lavagens, podem ficar incríveis!

Lembre-se de que, em geral, o brasileiro é mais informal, e o jeans nem sempre é visto como sinal de casualidade. Se for com corte mais reto, principalmente. Jeans rasgados? Bem, observe ao seu redor no trabalho e veja se cabe. Em agências de publicidade, coworkings, shoppings etc., acaba sendo um sinal de personalidade muito bem-vindo.

4. Antes: Não use salto alto demais / Hoje: Use salto alto ou nenhum salto 

O que importa não é a altura do seu salto, mas quão confortável você se sente com ele. Desde que sua mobilidade não seja afetada nem sua confiança, use o salto que bem entender — a menos que haja uma norma interna ou recomendação contra isso.

De novo, vale o bom senso em relação à sua profissão. Assim como em qualquer área, inclusive nas mais formais, hoje é possível usar flat todo dia sem perder a elegância. Há opções fechadas, de bico fino, mules, oxfords… toda sorte de modelos atuais esperando por você.

5. Antes: Evite acessórios chamativos/ Hoje: Use acessórios que sejam sua "marca pessoal"

Defendo muito a ideia de ter uma marca pessoal, um look, penteado ou tipo de acessório que demarque bem qual é o seu estilo e que faça você ser reconhecida por aquilo. É sinal de personalidade e uma excelente ferramenta de branding pessoal.

Sem a neura de só usar pequenas bijuterias, você pode apostar em uma pulseira de resina bacana, um lenço ou um colar chamativo e fazer isso trabalhar a seu favor. Em quase qualquer tipo de ambiente a ousadia nos acessórios é viável. Uma forma de trazer borogodó a looks sem graça.

6. Antes: Jamais vá de roupas curtas/ Hoje: Faça um balanço e observe o clima da sua empresa 

Não estou dizendo para chegar de hot pants na empresa, mas muitas "seguram" bermudinhas e saias acima do joelho numa boa. De novo: vale olhar ao redor para sentir a cultura organizacional e ir testando, sem exageros, o que cai bem. Como em qualquer ocasião, procure compensar algo mais curto com peças mais largas. Mostrou aqui, esconde ali.

Pessoas jovens em trabalhos informais, não criem amarras, apenas desenvolvam um bom senso que faça você se sentir confortável e bem visto pela empresa.

7. Antes: Só use maquiagem suave/ Hoje: Valorize sua beleza

Na era da beleza tão popularizada — e, ainda bem, com mais acesso a maquiagem e a produtos para todo tipo de cabelo — prender-se a um tipo de make ou penteado não faz mais sentido. Descubra o tipo de maquiagem que valoriza seu rosto e… voilà!

Quanto aos cabelos, a única "regra" que ainda vale é mantê-los limpos. De resto, use-o para valorizar sua autoestima, sem se preocupar em prender, esconder e muito menos alisar. Autenticidade é a alma do negócio, lembra?

8. Antes: Fuja de peças de cortes extravagantes / Hoje: Repita peças statement  

Colete alongado? Impensável antigamente. Saia de barra irregular? Um absurdo. Camisas com babados? Inadequadas. Ah, por favor! Vamos usar a mesma lógica do acessório que marca sua personalidade aqui. Se você tem uma peça que combine muito com você e que faça sentido para o seu ambiente de trabalho, use de novo, e de novo

Olha eu de novo, agora usando calça com toque esportivo e brilho com alfaiataria no meu escritório. (Foto: Marcelo Guarnieri/Divulgação ILove)

9. Antes: Evite tecidos "moles" e roupas esportivas / Hoje: Mescle esportivo e formal no look  

A moda está muito esportiva, e pequenos toques dessa tendência são bem-vindos em quase todos os ambientes profissionais. Pense em jogging com camisa, calça reta ou pantacourt com tênis ou jaqueta perfecto ou com listras laterais combinando com um look mais formal e escarpins. Combinações inusitadas e modernas.

A legging, embora largamente utilizada, continua a ser polêmica. Minha dica: se quiser trabalhar com legging, use camisa ou colete longos e tente combinar com um loafer ou sapato menos esportivo. Quanto menos ela parecer roupa de academia, mais versátil fica — a não ser que você seja personal trainer… 🙂

10. Antes: Nunca use brilhos / Hoje: Aposte em pontos de brilho estratégicos  

Brilho durante o dia? Yes! São tantas possibilidades hoje de usar brilhos que vou citar apenas duas que funcionam para mais tipos de escritório: aposte em peças de roupa que tenham apenas algum detalhe de brilho (lurex ou alguma aplicação) ou deixe o lado reluzente para o sapato ou a bolsa.

Lembre-se de escolher suas combinações de roupa com intenção, pensando na imagem que quer transmitir. E, como sempre repito aqui, procure definir o look um dia antes. As chances de sair mais estilosa de casa dobram.

Sobre a autora

Bruna Fioreti é coach de vida e carreira, jornalista e consultora de branding pessoal e conteúdo. Ministra cursos e palestras sobre carreira, estilo, produtividade e temas femininos pelo Brasil - expertise desenvolvida em cinco anos como redatora-chefe da revista Glamour. Com MBA em Coaching em curso e seu projeto Manual de Você, realiza dezenas de atendimentos individuais e dissemina o conceito de #autocoaching nas redes sociais.

Sobre o blog

Dicas e reportagens sobre carreira, com foco nas mulheres que buscam satisfação, foco, produtividade e aprimoramento da imagem profissional. Um espaço para falar das tendências da área, que vai te ajudar a atingir a melhor performance da empresa chamada VOCÊ.