Topo
Bru Fioreti

Bru Fioreti

Categorias

Histórico

Dez livros que valem por uma sessão de coaching

Bru Fioreti

03/07/2017 08h00

A sessão de coaching é uma conversa, uma sucessão de perguntas que o coach faz para o cliente para ajudá-lo a definir e atingir seus objetivos. No final de cada uma, os dois definem um plano de ação que precisa, via de regra, começar naquela mesma semana. Que me perdoem os demais coaches pela simplificação, mas o que interessa aqui é dividir com você a lista dos livros que considero válidos para quem quer ter resultados melhores na vida em todos os aspectos, mas não pode ou não quer fazer um processo de coaching. Mesmo para quem faz, as indicações abaixo são uma mão na roda — vai por mim.

Aqui estão os que li, curti e cujos exercícios utilizei de alguma forma. Claro que já conto o que extrair de melhor de cada um deles ;-).

Foto: Pexels

  1. Para deixar de se fazer de vítima, sair da inércia e traçar objetivos: "Estratégias de Vida", Phillip C. McGraw (Ed. Alegro). Ferramentas clássicas, capítulo a capítulo, calcadas no conceito de autorresponsabilidade, a capacidade de entender que você é responsável pelas suas atitudes e pelo que acontece ao seu redor. A base do processo de coaching é entender em qual ponto você está e em qualquer chegar, e este livro é um tapa na cara para quem gosta de… tapar o sol com a peneira! Olhe para sua vida e tudo o que não está bom nela e decida mudar isso — é tipo uma primeira sessão de coaching bem feita. Obs. o livro é difícil de encontrar em lojas físicas, porque é antigo, ok?
  2. Para entrar em ação com métodos comprovados: "O Ciclo do Sucesso", Brian Tracy (Ed. Gente). Prático até a última gota, este livro é sobre o que você pode fazer a partir de hoje para mudar o que não vai bem na sua vida. Autor do também ótimo "Eat That Frog", Brian Tracy defende a Lei da Causa e Efeito e trabalha pilares do coaching, como desenvolvimento da autoconfiança, descoberta de valores, definição de propósito e clareza sobre objetivos. No final de cada capítulo, exercícios de reflexão — assim como as sessões de coaching, que sempre são finalizadas com tarefas para a próxima.
  3. Para encontrar sua paixão e fazer dela seu trabalho: "Escolha Sua Vida", Paula Abreu (Ed. Sextante). A coach Paula Abreu escreve, de forma mega-acessível, o caminho das pedras para o encontro do propósito de vida — sua missão, aquilo que te apaixona e que pode se tornar a sua maior fonte de renda. Uma das sacadas dela é fazer o leitor entender que aquilo que é fácil para ele pode ser justamente seu maior negócio, desde que haja mercado para acolhê-los. De novo, fazer os exercícios propostos é fundamental. Coaching é pergunta pura, gente!
  4. Para aprender a fazer networking como um coach recomenda. "Nunca Almoce Sozinho", Keith Ferrazi (Ed. Actual). Tudo o que se fala sobre gerar valor para o outro e economia colaborativa está neste livro, originalmente publicado em 2006. O livro é sobre construir networking como ele deve ser: profundo, de longo prazo, variado, consistente. Entre as dicas, ser generoso com o máximo de pessoas possível e "estudar" a pessoa que admira e com a qual quer se conectar.  Obs. Não achei no Brasil e comprei online a edição portuguesa, tá? Tem alguns maneirismos locais, mas dá para aguentar.
  5. Para levar o foco e a produtividade ao nível máximo: "Produtividade Para Quem Quer Tempo", Geronimo Thelm. Coach que ensina ferramentas de trabalho a outros coaches, Geronimo dá o roteiro para chegar ao que chama de nível de produtividade A, que seria algo como realizar tudo o que quer da vida e não se sentir sufocado pela agenda. O exercício do Ciclo Semanal já valeria o livro, mas eu indico responder todas as perguntas até chegar a essa parte (as perguntas de novo…), já que elas vão te ajudar a construir seus objetivos em longo e curto prazos.
  6. Para abafar a censora interior e desenvolver autoestima e autoconfiança: "Ouse Crescer", Tara Mohr (Ed. Sextante). Mulheres que sofrem da chamada Síndrome da Impostora saberão a dor que é sempre achar que não é boa o suficiente, sentir que é uma fraude. Neste livro, a autora rastreia as razões ancestrais e as mais recentes para esse padrão mental tão feminino e ajuda a diferenciar a voz da censura da sua voz — outra base do coaching tratada em livro.
  7. Para entender a lógica do sucesso e mudar a atitude com relação ao dinheiro. "Quem Pensa Enriquece", Napoleon Hill (Ed. Fundamento). Um daqueles clássicos que precedem a popularização do coaching, mas que carregam a essência do pensamento positivo como o primeiro passo para a atitude positiva — esta sim, essencial para enxergar oportunidades e chegar a resultados excelentes. Conectar pensamento, atitude e emoção para ser um realizador com estudos de caso é o grande mérito deste livro de fácil compreensão.
  8. Para aprender a se tratar como uma marca. "Personal Branding: Construindo sua Marca Pessoal", Arthur Bender. (Ed Integrari). Leitura essencial para quem gosta de branding, mas pode também ser de enorme valia para o autocoaching. Pensar em si mesmo como uma empresa ajuda a organizar do fluxo de caixa à sua missão, e a deixar de desculpas e assumir que a "empresa você" só tem um CEO… adivinha quem? Também traz ideias práticas de divulgação, networking e marketing pessoal que combinam com a era das redes sociais e da autopromoção — só que com consistência.
  9. Para entender a lógica dos hábitos e aprender a quebrar os maus. "O Poder do Hábito", Charles Duig (Ed. Objetiva). Virou hit nas livrarias e vale o hype. A investigação megaprofunda sobre o tema impressiona, e o método proposto para transformar hábitos nocivos em positivos é o que há de mais efetivo hoje. Na obra, você entende os gatilhos dos seus hábitos, a rotina de cada um e as recompensas que tem com eles. De posse disso, pode transformá-los, desde que persista. Como fazer coaching tem tudo a ver com mudar hábitos arraigados e ser mais produtivo, saudável e feliz, fica a indicação.
  10. Para entender sobre os jogos do poder de um jeito pouco ortodoxo. "As 48 Leis do Poder", Robert Greene (Ed Rocco). Nunca vi coaches citarem esse livro, porque ele foge bem até do padrão da minha lista. Mas pense nesta obra como um manual para chegar ao poder, bem ao estilo maquiavélico, com lições de autocontrole, boas doses de manipulação e análise fria do comportamento alheio. Dá para levar alguns exageros com certo humor e observar as verdades escritas ali para lidar com hierarquia e objetivos grandiosos.

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do UOL

Sobre a autora

Bruna Fioreti é coach de vida e carreira, jornalista e consultora de branding pessoal e conteúdo. Ministra cursos e palestras sobre carreira, estilo, produtividade e temas femininos pelo Brasil - expertise desenvolvida em cinco anos como redatora-chefe da revista Glamour. Com MBA em Coaching em curso e seu projeto Manual de Você, realiza dezenas de atendimentos individuais e dissemina o conceito de #autocoaching nas redes sociais.

Sobre o blog

Dicas e reportagens sobre carreira, com foco nas mulheres que buscam satisfação, foco, produtividade e aprimoramento da imagem profissional. Um espaço para falar das tendências da área, que vai te ajudar a atingir a melhor performance da empresa chamada VOCÊ.